Nothing but words...

andrômeda de suores encharcados,
te rever foi tão dolorido,
mas uma dor dócil da nostalgia austera, jubilosa, cheia de frescor.
quem me dera ter outra chance de ficar a sós contigo e comigo,
sem intervenções, sem rancores e pudores.
quem me dera deitar meu corpo ao lado do teu e tirar proveito só mais uma vez do prazer imensurável que me proporcionavas.
me recuso a te deixar estagnado pra sempre no passado.
hoje sei que amei e continuo amando. mas, até quando?


Andromeda - Auguste Rodin

Comentários

Leo de Laures disse…
Descobrindo e cada vez mais por andanças descobrindo mundos por palavras. Lê-las em algumas postagens desse blog é como adentrar em um quarto escuro para sentir o hálito quente que emana de um corpo ofegante, ardente em paixão.

Assim, muito prazer.

Postagens mais visitadas